Qual foi o legado da revolução de 1820?

What was the legacy of the 1820 revolution?

María Cruz Romeo Mateo
Dpto. de Historia Moderna y Contemporánea Facultad de Geografía e Historia – Universidad de Valencia, España

Embora outras dinâmicas revolucionárias sejam levadas em consideração (é o caso da portuguesa), esta intervenção incidirá especialmente sobre o caso espanhol. A hipótese que será apresentada é que a revolução de 1820 foi apagada da memória e da política do liberalismo posterior e, conseqüentemente, teve uma presença muito díspar na historiografia e na interpretação do passado espanhol. É por isso que contrasta a importância que os contemporâneos deram à revolução e a alguns dos instrumentos implantados na época (por exemplo, a Milícia Nacional) com seu reflexo, bastante pálido, em testemunhos posteriores. Como resultado, também desapareceu o discurso radical sobre a nação espanhola. Portanto, esta intervenção tem como objetivo responder à seguinte pergunta: é possível falar de um escurecimento da história no caso da revolução de 1820?

Palavras-chave:

Revolução de 1820, Memória, Liberalismo, Nação espanhola


Although other revolutionary dynamics will be taken into account, such as the Portuguese one, the communication will focus on the Spanish case. The hypothesis that will be put forward is that the revolution of 1820 was largely erased from the memory and politics of later liberalism and, consequently, has had a very diffuse presence in historiography and in the interpretation of the Spanish past. This contrasts the importance that the protagonists gave to the revolution and to some of the instruments implanted at that time (for example, the National Militia) and its reflection in subsequent testimonies. A radical discourse of the Spanish nation appeared. In short, could one speak of obscuring history?

Keywords:

1820 revolution, Memory, Liberalism, Spanish nation