O léxico da escravatura e da servidão no vintismo

The lexicon of slavery and servitude in the portuguese Vintismo

Fátima Sá e Melo Ferreira
CIES – Instituto Universitário de Lisboa

Tal como as sociedades as palavras e os conceitos também vivem no tempo e do tempo e fazem por isso mesmo parte da intrincada trama sobre a qual se debruça o conhecimento histórico. As palavras escravatura e servidão e outras do mesmo campo semântico foram usadas nos textos programáticos do vintismo, na imprensa da época e nos debates parlamentares das Cortes Constituintes e das Cortes Ordinárias frequentemente como metáforas da condição de privação da liberdade política dos súbditos dos reis nas monarquias absolutas. No entanto elas remetiam para os sentidos menos metafóricos de privação de liberdade e de direitos dos servos e principalmente dos escravos que tinham construído e continuavam a construir o Novo Mundo e eram objecto do tráfego marítimo no circuito triangular Europa, África, Américas em que se haviam estabelecido poderosos interesses dos dois lados do Atlântico, no caso português com o Brasil. Num momento em que, sob o impulso da Revolução francesa e da política externa britânica, o abolicionismo estava na ordem do dia na Europa, esta comunicação pretende indagar as relações e os cruzamentos de sentido entre os vários significados dos termos escravatura e servidão,  dos mais literais aos mais metafóricos, com vista a perceber melhor de que modo  revoluções  como a Vintista, colocada sob o signo da liberdade, conviviam com a condição servil e a escravatura nas colónias.

Palavras-chave:

Escravatura, Servidão, Semântica histórica, Vintismo


Like societies, words and concepts also live in time and are therefore part of the intricate plot on which historical knowledge is make. The words slavery and servitude and others terms of the same semantic field, were used in the programmatic texts of the Vintismo, in the press and in the parliamentary debates of the Constituent Cortes and the Ordinary Cortes, often as metaphors of the condition of deprivation of political freedom of the subjects of kings in the absolute monarchies. However, they referred to less metaphorical meanings on deprivation of freedom and rights of serfs and mainly of slaves who had built the New World o and were objects of maritime traffic on the triangular circuit: Europe, Africa, and the Americas in the Portuguese case with Brazil. At a time when, under the impulse of the French Revolution and British foreign policy, abolitionism was popular in Europe, this study aims to investigate the relationships and the crossings between the various meanings of the terms slavery and serfdom, from the most literal to the most metaphorical. Its purpose is to understand how revolutions, like the Vintista, placed under the sign of freedom coexisted with the servile condition and slavery in the colonies.

Keywords:

Slavery, Servitude, Historical semantics, Vintismo