A nobreza durante o período de independência da América espanhola e do Brasil

The nobility during the Independence period of Spanish America and Brazil

Christian Büschges
Historical Institute, Department of Iberian and Latin American History – University of Bern

O artigo aborda a questão de como as aristocracias ibero-americanas se adaptaram e ajudaram a moldar a nova ordem política durante o período da independência. Enquanto na América espanhola as reivindicações tradicionais de preeminência social e política baseadas em direitos hereditários foram totalmente abandonadas com o nascimento dos novos estados republicanos, o exílio da corte portuguesa no Rio de Janeiro após a invasão francesa da Península Ibérica em 1808 levou à criação de uma nova aristocracia brasileira. Dotada de privilégios sociais e políticos que nunca haviam existido em grau semelhante na época colonial, a nobreza brasileira desempenhou um papel importante nas novas instituições políticas da monarquia constitucional independente. Ao mesmo tempo, alguns dos aristocratas hispano-americanos participaram ativamente das disputas políticas e das lutas militares do período da independência e aderiram, como parte de seus homólogos brasileiros, às novas associações políticas, tanto liberais quanto conservadoras, que emergiu das lojas maçónicas coloniais tardios durante o início da era republicana. O artigo analisa aspectos cruciais da mudança e da continuidade nas orientações e práticas sociais e políticas da nobreza ibero-americana, desde o final da era colonial até ao início do período da independência.


The paper addresses the question how Ibero-American aristocracies adapted to and helped shaping the new political order during the independence period. While in Spanish-America traditional claims of social and political pre-eminence based on hereditary rights were outright abandoned with the birth of the new republican states, the exile of the Portuguese court at Rio de Janeiro following the French invasion of the Iberian Peninsula in 1808 led to the creation of a new Brazilian aristocracy. Endowed with social and political privileges that had never existed to a similar degree during colonial times, the Brazilian nobility played an important part in the new political institutions of the independent constitutional monarchy. At the same time, some of the Spanish-American aristocrats participated actively in the political disputes and military struggles of the independence period and joined, as did part of their Brazilian counterparts, the new political associations, both liberal and conservative, that emerged from the late colonial masonic lodges during the early Republican era. The paper analyzes crucial aspects of change and continuity in the social and political orientations and practices of the Ibero-American nobility from late colonial times to the early independence period.