Teatro e gestão de corpos em palco: notas biográficas e sistematizações

Theater and body management on stage: biographical notes and systematizations

Ricardo Ferreira de Almeida
Instituto Politécnico de Viseu – Escola Superior de Tecnologia de Lamego

A dinâmica de promoção dos espectáculos teatrais em Portugal foi despoletada pela ascensão da burguesia. Nesse período, a tensão entre os objectivos de prossecução do lucro por parte dos empresários teatrais e a sugerida escassez ou falta de preparação do público, motiva a reivindicação de subsídios oficiais à arte. Orientada pela ideia de «crise» e pela auscultação da qualidade geral dos artistas e do público, gerou-se uma tipologia de sociabilidades que abrange um volume de práticas sociais, de habitus, altamente simbolizadas e operadas por uma classe cujos consumos culturais são atravessados por preceitos de afirmação e exibição de um determinado capital social. A esta presença de actividade comercial e dinâmica formativa condenada ao insucesso, mas que atribui a si própria um elogiado prestígio social, junta-se uma reconhecida ausência: em Portugal, os modelos sistematizados que visassem o pensamento sobre um paradigma de gestão prática do corpo em cena estavam um pouco crus ou eram praticamente inexistentes. Neste sentido, pretendemos fornecer algumas indicações acerca dos primeiros programas de treino do actor.

Palavras-chave:

Burguesia, Teatro e espectáculo, Treino do corpo, Capitalismo nas artes


The dynamics of the promotion of theatrical shows in Portugal were triggered by the rise of the bourgeoisie. In this period, the tension between the pursuit of profit by theatrical entrepreneurs and the suggested scarcity or lack of preparation of the public motivates the claim of official subsidies to art. Guided by the idea of ‘crisis’ and by listening to the general quality of artists and the public, a typology of sociability was generated, encompassing a volume of social practices, habitus, highly symbolized and operated by a class whose cultural consumptions are crossed by precepts of affirmation and display of a certain social capital. To this presence of commercial activity and formative dynamics condemned to failure, but which attributes to itself a praised social prestige, there is a recognized absence: in Portugal, systematized models that aim at thinking about a paradigm of practical management of the body in scene were a bit raw or were practically nonexistent. In this sense, we intend to give some indications about the first training programs of the actor.

Keywords:

Bourgeoisie, Theater and show, Body training, Capitalism in the arts