O raiar da “aurora política” no Rio de Janeiro – leituras do movimento constitucional de 26 de fevereiro de 1821

The Dawn of Politics in Rio de Janeiro – Reading the Constitutional Movement of February 26, 1821

Lucia Maria Bastos Pereira das Neves
Instituto de Filosofia e Ciências Humanas – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil

As notícias da vitoriosa revolução liberal de Portugal chegaram ao Brasil em finais do ano de 1820. Não sendo mais possível ignorar tais acontecimentos, tornavam-se necessárias medidas do governo do Rio de Janeiro para não perder o controle sobre o rumo do processo histórico. De imediato, Pará e Bahia aderiram ao movimento português. A situação tornou-se mais delicada quando, em 26 de fevereiro de 1821, a Divisão Militar Portuguesa proclamou o movimento constitucionalista na capital da então sede do Império Português. A presente comunicação tem como objetivo elaborar uma análise da documentação da época produzida em torno do movimento, tanto em relação aos impressos quanto aos menos conhecidos textos manuscritos. Essas fontes representaram a discussão, em espaços públicos, da política, ainda que não se encontrassem totalmente desvinculadas do ambiente fortemente religioso em que foram divulgados. A sua análise, em especial, daquelas manuscritas, podem oferecer novas perspectivas sobre o movimento constitucionalista que o Brasil conheceu em 1821, bem como dar pistas inovadoras sobre seu processo de separação de Portugal.

Palavras-chave:

Revolução Liberal de 1820, Movimento Constitucionalista do Rio de Janeiro 1821, Espaços públicos, Panfletos políticos


News of Portugal’s victorious liberal revolution reached Brazil at the end of 1820. Pará and Bahia joined the Portuguese movement almost immediately. Not being possible to ignore such events any longer, it was necessary for the Rio de Janeiro government to take the course of the historical process into its hands. The situation, however, became criticale when, on February 26, 1821, the Portuguese Military Division in Rio proclaimed the constitutionalist movement in the capital of the then capital of the Portuguese Empire. This paper aims to elaborate an analysis of the documentation, both manuscript and printed, produced about this movement that brought the discussion of politics into the public space, even though it was pervaded by religious beliefs. The analysis of these sources, in particular the manuscript ones, may offer new perspectives on the constitutionalist movement that Brazil underwent in 1821, and may give as well innovative clues about its process of separation from Portugal.

Keywords:

The Liberal Revolution of 1820, The Constitucionalist Movement of Rio de Janeiro 1821, The Public Space, Political Pamphlets