O impacto do constitucionalismo ibérico nas práticas políticas e culturais do Rio da Prata. Atividade de imprensa e debate conceitual na Província Oriental / Cisplatina (1820-1830)

The impact of the Iberian constitutionalism in the political and cultural practices in the River Plate region. Press activity and conceptual debate in the Provincia Oriental

Wilson Fernando González Demuro
Departamento de Historia Americana – Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación, Universidad de la República, Montevideo

Esta comunicação propõe examinar as mudanças produzidas na cultura impressa e no linguagem político do Rio da Prata a partir das revoluções liberais ibéricas iniciadas em 1820. O território da Província Oriental, que em 1821 foi anexado ao Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarve com o nome de Cisplatina, será analisado com maior ênfase. A cronologia do estudo abrange a década de 1820, até a criação do Uruguai como um novo Estado independente em 1830. Durante esse breve período, a situação política da província e os debates conceituais passaram por diferentes etapas. Da mesma forma, nesses 10 anos, a atividade da imprensa experimentou diferentes ciclos de expansão e queda. Entre os objetivos do trabalho estão: a) examinar a evolução de todas as atividades de impressão (jornais e impressos “menores”), levando em consideração o impacto dos movimentos liberais e a aplicação na província da Lei da Liberdade de Imprensa aprovada pelas Cortes em 1821; b) estudar a evolução histórico-semântica de quatro conceitos políticos e sociais de grande importância no período: liberdade, independência, república e ordem. Seguindo as metodologias da história conceitual, da história da mídia e da história política, revisam-se várias fontes, principalmente impressas, a fim de rastrear “os múltiplos ecos do constitucionalismo”, conforme estabelecido pelo convite deste painel. As linguagens políticas não emergem ou se desenvolvem em condições de isolamento, de modo que nenhum conceito político-social nasce ou evolui independentemente de seus contextos linguísticos e extralinguísticos. A partir dessa premissa muito básica, a propósito, a comunicação propõe estudar as redes de relações estabelecidas entre as quatro vozes mencionadas acima. Examinando a documentação jornalística produzida ao longo do período 1820-1830, observa-se, em uma primeira aproximação, que os vínculos entre liberdade, independência, república e ordem foram uma das pedras angulares da estrutura político-conceitual geral em todo o Rio da Prata. Os diferentes significados que esses dois termos conheceram durante duas décadas de revoluções e guerras estavam diretamente relacionados aos projetos da organização republicana e aos interesses que cada setor social participante expressava em momentos específicos. Nesse sentido, a hipótese é a seguinte: em 1830, foi concluído um processo iniciado em meados da década de 1810 e aprofundado a partir de 1820 sob domínio luso-brasileiro da Província Cisplatina, através do qual o liberalismo ibérico impactou diretamente nesta área do continente. Nesse contexto, dentro da linguagem política estavam sendo impostas certas conceituações que refletem a vitória, pelo menos parcial, do projeto político da elite urbana contra o radicalismo dos líderes federais e agrários. A vitória também foi uma crítica profunda do que essas mesmas elites consideravam anarquia, infalivelmente associada à participação política ativa de setores comuns. Esta é a principal questão que nos propomos a examinar neste trabalho, com a imprensa como fonte primária.

Palavras-chave:

Río da Prata, Imprensa, Política, Constitucionalismo Ibérico, História dos conceitos


This communication proposes to examine the changes produced in printed culture and political language of River Plate region from the initiation of Iberian liberal revolutions in 1820. The territory of Provincia Oriental, which in 1821 was annexed to the United Kingdom of Portugal, Brazil and Algarve with the name of Cisplatina will be analyzed with greater emphasis. The chronological framework of the study covers the entire 1820s, that is, until the creation of Uruguay as a new independent state in 1830. Throughout this brief period the political situation in the province and the conceptual debates went through different stages. Similarly, in those 10 years the press activity experienced different boom and bust cycles. The objectives of the paper are: a) examine the evolution of all printing activity (newspapers and “minor press”), taking into account the impact of liberal movements and the application in the province of the Law of Printing Freedom approved by the portuguese parliament (Cortes) in 1821; b) study the historical-semantic evolution of four political-social very important concepts in the period: freedom, independence, republic and order. Following the methodologies of the conceptual history, media history and political history, we will review different sources, mostly printed, in order to track “the multiple echoes of constitutionalism”, as established by the call of this panel. Political languages do not emerge or develop in conditions of isolation, so that no political-social concept is born or evolves regardless of their linguistic and extralinguistic contexts. Starting from this very basic premise by the way, the paper proposes to study the networks of relationships established between the four voices mentioned above. Examining the journalistic documentation produced throughout the period 1820-1830, it is noted, in a first approximation, that the links between freedom, independence, republic and order were one of the fundamentals of general political-conceptual framework throughout the River Plate. The different meanings that these two terms knew during two decades of revolutions and wars were directly related to the projects of the republican organization and the interests that each participating social sector expressed at specific times. In this sense, the hypothesis is: in 1830 a process started in the mid-1810s was completed and deepened from 1820 with the Luso-Brazilian domination of the Provincia Cisplatina, through which Iberian liberalism impacted directly in this area of South America. In this framework, within the political language certain conceptualizations were being imposed that reflect the victory, at least partial, of the political project of the urban elite against the radicalism of the federal and agrarian leaders. The victory was also a deep criticism of what these same elites considered anarchy, unfailingly associated with the active political participation of commoners. This is the main question that we propose to examine in this work, with the press as the primary source.

Keywords:

River Plate region, Press, Politics, Iberian constitutionalism, History of concepts