O exemplo da Revolução do Porto “brotará” no Brasil desejo de imitação: Uma sedição malograda em 1820 em Pernambuco

The example of the Porto Revolution will arise in Brazil desire for imitation: A failed sedition in 1820 in Pernambuco

Flavio José Gomes Cabral
Universidade Católica de Pernambuco

Para o jornalista Hipólito da Costa a revolução liberal deflagrada na cidade do Porto em 24 de agosto de 1820 iria influenciar o Brasil, uma vez que, se houvesse descontentamentos com a Coroa, desejos de imitação brotariam, estimulando contestações. Um dos efeitos imediatos no Brasil da citada revolução ocorreu no Pará, que aderiu a revolução em 1º de janeiro de 1821 seguido pela Bahia, em 10 de fevereiro. Entretanto, quando as novidades portuguesas chegaram a Pernambuco por intermédio de um navio inglês em 22 de outubro de 1820, a notícia se espalhou e foi recebida com entusiasmo. Imediatamente foi organizada uma conspiração que orquestrou o assassinato do governador general Luís do Rego Barreto e a imediata eleição de uma junta provisória de governo que o deveria substituir. O conluio foi descoberto e seus mentores levados para a prisão. O general, que por sinal governava despoticamente desde 1817, redobrou sua atenção procurando barrar a entrada na província de papéis e propagandas revolucionárias evitando rebeldias. A pesquisa procura demonstrar que mesmo diante os interditos os pernambucanos não se esquivaram de falar sobre política, de liberdade, tirania, despotismo e de regeneração contra a decadência, vocábulos que ilustraram o vintismo, isto é, o pensamento político iniciado em 1820.

Palavras-chave:

Revolução do Porto, Liberalismo, Vintismo, Sedição, Pernambuco


For the journalist Hipólito da Costa, the liberal revolution that broke out in Porto on August 24, 1820 would influence Brazil, since if there would be a feeling of discontent with the Crown, imitation desires would spring up, stimulating contestation. One of the immediate effects in Brazil of the mentioned revolution occurred in Pará that joined the revolution on January 1, 1821, followed by Bahia on February 10. However, when Portuguese news arrived in Pernambuco through an English ship on October 22, 1820, the news spread and was received with enthusiasm.

Immediately a conspiracy was organized that orchestrated the assassination of General Governor Luís do Rego Barreto and the immediate election of an interim junta board to replace him. The collusion was discovered and its mentors taken to prison. The general, who, by the way, had ruled despotically since 1817, redoubled his attention by trying to block the entry into the province of revolutionary papers and advertisements, avoiding rebellion. The research seeks to demonstrate that even in the face of interdictions, the people of Pernambuco did not shy away from talking about politics, freedom, tyranny, despotism and regeneration against decay, lexicons that illustrated the Vintismo, that is, the political thought started in 1820.

Keywords:

Porto Revolution, Liberalism, Sedition, Vintismo, Pernambuco